Direitos das Crianças

Falar das crianças e das responsabilidades que temos junto a elas não é brincadeira. É durante a infância e a adolescência que uma pessoa desenvolve as bases daquilo que virá a ser no futuro. A confiança, a capacidade de aprendizado, a habilidade para lidar com as próprias emoções, tudo isso começa ali, nos primeiros anos de vida. Ou melhor, pode ter início antes mesmo do nascimento, enquanto o bebê ainda está se formando na barriga da mãe.
Assim, é natural que esta pessoa que engatinha rumo á descoberta do mundo já tenha assegurado o direito de alcançar o seu pontecial máximo. "O direito essencial da criança é de acesso ás condições necessárias e indispensáveis para o seu crescimento e desenvolvimento dentro do útero e de fora dele", explica o Dr. Dioclécio Campos Júnior, Presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria e chefe do Centro de Clínicas Pediátricas do Hospital Universitário de Brasília. E os princípios b´sicos para garantir que esse ser humano em formação chegue tão longe como pode chegar são dois: saúde e educação. Especialmente nos seis primeiros meses, bilhões de células do cérebro se conectam. Ou seja, o direito das crianças começa por um pré-natal saudável da mãe, com acompanhamento médico e nutrição adequada. Ainda nessa fase também já é possível dar os primeiros estímulos para que o bebê se desenvolva. Alguns estudos indicam, por exemplo que nos três últimos meses da gravidez o bebê já é capaz de ouvir sons. Quando nasce, ele inclusive identifica o cheiro e a voz da mãe.
 
 
ACOLHIMENTO:
Os seis primeiros meses marcam um momento muito importante na vida de uma pessoa. "Nessa fase, o cérebro cresce com maior velocidade. Depois, ele desacelera e até o quinto ou sexto ano de vida já tem praticamente o mesmo tamanho do de um adulto", conta o Dr. Dioclécio. Contribui para o pleno desenvolvimento deste e de outros órgãos o fornecimento ideal de nutrientes, assegurado sempre que possível pelo aleitamento materno.
E tem mais. Especialmente nessa fase, os bilhões de células do cérebro formam as chamadas sinapses. "Diferentes estímulos fazem com que elas se conectam, criando uma rede enorme de trilhões de ligações", esclarece o pediatra. Entre esses estímulos estão os sensoriais (o contato com o corpo da mãe, por exemplo), os visuais (reconhecer um olhar de afeto), os auditivos e os olfativos. Assim, é fundamental assegurar ao recém-nascido não só o direito á nutrição adequada, mas também ao acolhimento, a sentir-se amado e protegido.
"A interação diária faz com que a criança tenha a percepção de pertencimento pela família. A partir daí surge a identificação própria e forma-se a sua personalidade", acrescenta o pediatra. Por isso, cobra-se cada vez mais o conceito de paternidade responsável. A presença marcante do pai é quesito fundamental para a criança em todas as idades e ajuda no sentido de compartilhar o afeto com a mãe e de oferecer segurança.
 
 
 
EDUCAR PARA CRESCER:
Sobre a educação, vale reforçar que em toda a primeira infância e até a adolescência ela é primordial. Que fique claro, porém, que não basta colocar o filho numa escola e acreditar que isso seja o suficiente. Educação é um conceito muito maior. "Consiste em propiciar ambientes favoráveis ao desenvolvimento do ser humano", diz o médico.
Licença Maternidade:
O contato com a mãe com seu filho nos seus primeiros meses de vida é fundamental. Não só pela questão do aleitamento, mas também pelo fortalecimento dos elos afetivos entre eles.
Fonte da Revista Nestlé.
 
 
 
Seu direito:
A empregada gestante tem direito a licença-maternidade de 120 dias sem prejuízo no emprego e no salário, para isso a empregada tem que pedir o ante-atestado médico modificar o seu empregador da data do início do afastamento do emprego que poderá ocorrer 28 dias antes do parto.


Compartilhe esse post com seus amigos


1 comentários:

  1. Oi Lucimar
    Sou a gatinha da Sandra Mitsue....Venha me conhecer....Adorei passear pelo seu blog...Os post estão de parabéns ...Adorei !
    Nyan nyan
    Nina

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...